Image default
Artigos Employer branding Marketing Notícias

Quer deixar uma marca positiva no mundo? Conheça o marketing social!

O marketing social está cada vez mais presente nos media das empresas, seja de grande ou pequena dimensão. Com o aumento da consciencialização das pessoas seja em relação à sociedade, seja ao meio ambiente, inclusão social, segurança, entre outros fatores, passou-se a ver o marketing como uma excelente maneira de obter bons resultados de divulgação da marca, credibilidade e ao mesmo tempo também traz benefícios à sociedade.

Nos últimos anos, a vertente do marketing social tem sido amplamente destacada. Fala-se das ações de solidariedade empresariais e realça-se a responsabilidade social do mercado, associando-a a práticas que mais não são do que um mero cumprimento das obrigações sociais das organizações.

Associado ao conceito de marketing, o adjetivo social tem servido para designar tudo e mais alguma coisa, até mesmo a estratégia digital das organizações concretizada nas redes sociais.

Posto isto, como esta forma de marketing funciona? Quais os seus benefícios para a empresa? De que forma a sociedade responde a uma campanha de marketing social? Como fazer? Estas são questões importantes, por isso, acompanhe e entenda!

O que é o marketing social?

Nascido na década de 70, o marketing social surgiu pela primeira vez quando Philip Kotler e Gerald Zaltman (criadores do marketing social) perceberam que os princípios do marketing tradicional, de venda de produtos, poderiam também ser usados para causas sociais, na venda de ideias, atitudes e comportamentos.

O objetivo principal do marketing social é o de atenuar ou eliminar problemas sociais, relacionados principalmente com as questões de saúde pública, transportes, trabalho, educação e nutrição. Assim, é muito usado por órgãos públicos e empresas, que trabalham as suas campanhas para consciencialização, doações e afins.

O intuito é sempre o de envolver a população numa causa e funciona justamente por não ser motivada por interesses comerciais, mas sim genuínos, de uma causa social. O público consegue identificar-se com essa causa e é sensibilizada por ela, passando a fazer parte daquilo.

O conceito é amplamente aplicado por várias empresas, que se posicionam por uma causa e investem na implementação de projetos sociais. Durante a implementação destes projetos são usadas estratégias de marketing que permitem tornar a comunicação mais eficaz. Esse trabalho é assegurado pela instituição que apoia a causa e que se encarrega de lhe dar visibilidade.

É comum os grandes canais de televisão estabelecerem parcerias e darem a cara por causas sociais. Em Portugal, veja-se o exemplo da RTP + ou da SIC Esperança. Do outro lado do Atlântico, no Brasil, destaque para o Criança Esperança, da Rede Globo.

As empresas deixaram de ter somente preocupações relativas às vendas e passaram a assumir um papel preponderante dentro da sociedade.

Qual a importância do marketing social?

Do ponto de vista do mercado global, a grande vantagem de trabalhar o marketing social dentro das empresas é a conquista do cliente.

Numa altura em que o público já tem ao seu dispor qualquer informação sobre qualidade do produto, preço, diferenças competitivas, etc, é necessário encontrar novas formas de se destacar da concorrência. E o marketing social é justamente a chave para esse novo mercado de consumidores.

O crowdfunding é um exemplo dessa mudança no comportamento dos clientes, que hoje em dia já estão dispostos a gastar dinheiro por uma causa em que eles acreditam.

Assim, a responsabilidade social vai sendo cada vez mais um fator de diferenciação obrigatório para as empresas que querem manter-se competitivas no mercado.

Para partilhar valores que sejam bem aceites pelos clientes é necessário trabalhar, portanto, este conceito em três etapas básicas:

• Identificar os valores do consumidor e da própria empresa.
• Identificar as causas sociais que permeiam esses valores.
• Escolher uma ou mais causas e dedicar-se a ela(s) com objetivos claros a curto, médio e longo prazo.

Seguindo o caminho correto e realmente defendendo causas importantes para o negócio e para os seus clientes, as empresas conseguirão criar relacionamentos bem mais significativos e duradouros com os consumidores.

Marketing Social: como construir uma campanha?

shutterstock_415091044

O objetivo das campanhas de sensibilização realizadas no âmbito de marketing social passa pela vontade de querer melhorar de forma contínua a sociedade. Mas para que se consigam obter resultados é necessário que a mensagem veiculada seja marcante, sem que seja chocante ao ponto de afastar as pessoas, e que realmente represente e demonstre os reais problemas que a sociedade enfrenta. É fundamental que a campanha capte a atenção das pessoas para que promova assim uma reação de aceitação face à comunicação a que estão expostas.

Para proceder à criação de uma estratégia de marketing social é necessário ter em conta os parâmetros que vamos analisar:

#Preço

O marketing social tem um carácter especial. E o seu “p” de preço não foge à sua natureza. Efetivamente, em marketing social o preço pode ser monetário, mas também pode não o ser. Isto porque o preço de um bem social tanto se pode traduzir num custo monetário, quanto num custo físico, psicológico, ou no tempo e energia que uma pessoa gasta para obter certo produto social. O preço pago tanto pode ser o tempo que está a dedicar à causa, o valor monetário que está a contribuir como donativo ou o esforço que faz para mudar de hábitos.

#Produto

No marketing social os produtos apresentam características muito específicas, pelo que a sua promoção não passa pela existência de lojas. Aquilo que existe é antes um conjunto de organizações interdependentes que tornam o produto ou serviço promovido acessível às pessoas. Pelo que, em marketing social, um local de distribuição será todo e qualquer lugar onde o target possa alterar o seu comportamento, realizar determinada ação, adquirir certos objetos ou receber determinados serviços.

#Distribuição

Como tal, também o canal de distribuição entende-se como o conjunto de todas as organizações que participam no fluxo que leva o produto ou serviços sociais, desde a geração dos mesmos até que cheguem aos seus destinatários. Isto é, consiste no conjunto de todas as organizações interdependentes que se envolvem na campanha de marketing social para tornar o produto ou serviço social disponível.

No entanto, já contando que uma pessoa pode não ter ficado sensibilizada com uma certa campanha de marketing social, mesmo que a campanha tenha conseguido ter impacto em determinada pessoa, por muito disposta que esteja a colaborar com uma organização social ou a adquirir um produto social, é necessário facilitar ao máximo a colaboração da mesma. Isto é, por muito inovador ou persuasivo que um produto social seja, se a sua obtenção ou se os acessos não forem facilitados, as pessoas acabam por desistir de empreender o seu esforço na sua obtenção ou na realização da ação requerida.

#Parcerias

No marketing social devem considerar-se dois grandes grupos de públicos. Como nos parece óbvio, um dos grupos diz respeito ao público que é destinatário ou beneficiário da ação de marketing social.

O outro grupo corresponde ao estabelecimento de parcerias, que permite às associações sociais adquirirem os recursos necessários para passarem dos seus ideais à efetiva execução das suas ideias. Isto é, além da obtenção de donativos, para poderem ser desenvolvidas as ações de marketing social necessitam da implementação de parcerias que ajudem a sustentá-las.

Para tal é necessário não só identificar quais as organizações existentes que apresentam objetivos compatíveis com os da organização social, mas também, é necessário persuadir e convencer as entidades que se constituem como possíveis parceiras a estabelecer as relações com a organização social.

Há, no entanto, que ressaltar que quando falamos de parcerias não tem a ver necessariamente com donativos monetários. As parcerias podem ser realizadas de diversas formas. O parceiro da associação social pode oferecer-lhe bens materiais ou serviços realizados pelos seus colaboradores que ajudem a organização social no seu campo de operações ou nos bastidores.

#Públicos

Como mencionámos acima, em marketing social devemos considerar a existência de dois grandes grupos de públicos: o público que beneficiará dos resultados da campanha de ação social e o público junto do qual atuamos com objetivo de angariar os mais variados recursos.

O marketing social deve ser diferenciado de acordo com os diferentes públicos que se pretendem atingir, no entanto, nem sempre é fácil identificar novos segmentos de interesse.

#Donativos

A sustentabilidade financeira das organizações sociais assenta maioritariamente em donativos externos realizados quer por particulares, quer por empresas privadas, quer por entidades estatais. Assim sendo, para garantir a sua existência e a sua subsistência, as organizações sociais têm de garantir a obtenção de donativos que lhes permitam continuar a desenvolver as suas atividades.

Para que as campanhas de comunicação realmente funcionem, a instituição tem de assegurar que a concretização de um donativo encontra-se acessível a qualquer um.

#Políticas

Quando falamos da análise das políticas referimo-nos à análise da situação política e legal do ambiente onde se insere a campanha e da tentativa de procurar perceber se o meio envolvente é ou não favorável ao seu sucesso. Este é um passo fundamental para perceber como é que as regulamentações e as leis podem condicionar, ou promover, os resultados e metas que uma organização social se propõem a alcançar.

#Comunicação

A comunicação é uma das facetas mais importantes e abrangentes, uma vez que diz respeito à definição de estratégias para fazer chegar a campanha ao público. É através da comunicação que as pessoas criam consciência do produto e dos seus atributos, e que convence o comprador a fazer a compra.

Se quer mesmo envolver-se com causas sociais e realmente transformar a sociedade através do seu negócio, como em qualquer campanha de marketing, é necessário investimento.

Pesquisa de mercado, segmentação de público, estabelecimento de metas e elaboração de um plano de trabalho com objetivos claros e mensuráveis são algumas das etapas para chegar ao marketing social.

Para começar, tenha em mente a importância da escolha da causa na qual irá escolher para trabalhar. Ela precisa ser relevante para o público-alvo da empresa e também estar conectada com a missão, visão e valores do negócio.

Uma vez escolhida a causa, descubra uma forma de realmente trabalhar como agente promotor da mudança. Procure envolver-se intensamente com a causa, promovendo mudanças efetivas, para que os consumidores possam associar a sua marca a essas mudanças e dar cada vez mais valor ao seu negócio.

Related posts

Quer saber o que é recruitment marketing?

admin

Culture code: o que é e como pode ajudar a sua marca

admin

Marketing digital: uma vantagem competitiva no retalho

admin

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Privacy & Cookies Policy